Cambará do Sul: Como conhecer os cânions da Serra Gaúcha

Do lado de Cambará do Sul: quem foi a princesa que bancou a protagonista de novela no cânion em São José dos Ausentes?



Conhecer a região dos cânions entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina estava há muito tempo na minha lista de lugares para conhecer. Com a alta do dólar, não pensei duas vezes e planejei um rolê pelo sul do Brasil –especificamente pelos cânions. E posso dizer que a região de Cambará do Sul e de São José dos Ausentes é um dos lugares mais lindos que já vi na vida.

Mas de onde surgiu a ideia de conhecer os cânions? Das novelas, obviamente. Sabe aquelas cenas de novelas das seis em que a mocinha chora no penhasco, cai do penhasco, se pendura no penhasco? Então, todas são gravadas nesta região! A Casa das Sete Mulheres, Além do Tempo, Chocolate com Pimenta… Todas tiveram cenas gravadas nesta região do Brasil.

Bateu saudade? Aproveita a abertura da Casa das Sete Mulheres aí e as primeiras cenas do 1º capítulo (que mostram os cânions!) Em seguida, veja a Alinne Moraes quase caindo do cânion (a mocinha e o protagonista da novela se encontravam nos cânions o tempo todo, como se a borda não fosse longe pra caramba):

    

Chega de novela, vamos ao que importa: como ir?

Cambará do Sul fica na serra gaúcha, a mais ou menos 190 km de Porto Alegre. O aeroporto mais próximo fica em Caxias do Sul, mas todo mundo vai até Porto Alegre (já que os voos são muito mais baratos até lá). A partir de POA, você tem duas opções: carro ou ônibus.

De carro: você não passará nem perto de Gramado. Siga até São Francisco de Paula (apelidada carinhosamente de São Chico), A cidade é uma fofura! A estrada até Cambará do Sul é super boa. Mas você não está saindo de POA, e vem de carro pela BR 101, passando por Santa Catarina? Não tem problema! Vá até Terra de Areia e suba a Rota do Sol (BR 453) até Tainhas, e de lá segue para Cambará pelo mesmo caminho de quem vem de São Chico.

De ônibus: foi a opção que escolhi e não me arrependi. Mas vá com a consciência de que vai perder o dia viajando. Explico: você pega o ônibus na rodoviária de POA (fui de Uber/Cabify, mas você chega com transporte coletivo), que fica pertíssimo do aeroporto. O problema é que sai UM ÚNICO ÔNIBUS para Cambará do Sul diariamente pela empresa Citral e somente às 6h da manhã (Sim, você vai madrugar. E a viagem até Cambará dura quase SEIS HORAS).

 

Imagem do cânion Fortaleza, em Cambará do Sul

O grande problema é que nenhum voo chega a POA a tempo de pegar este ônibus! Então você precisaria dormir na cidade.

A opção que todo mundo que vai de ônibus usa é pegar dois ônibus: um até São Chico e, de lá, outro para Cambará (e não se preocupe, ninguém fica preso em São Chico, já que o motorista sabe que um monte de gente vai para Cambará e espera o ônibus que está vindo de POA chegar para sair).

Quanto vou gastar indo de ônibus? Se for direto, cerca de R$ 100. Se for com dois ônibus, cerca de R$ 100 (sim, a mesma coisa). Só preste atenção para tentar embarcar até São Chico no ônibus que vai “direto”, e não no “comum”. O tal do “comum” para em qualquer ponto da rodovia –é como um ônibus de linha, só que confortável. E aí você leva uma eternidade para chegar até São Chico, já que os passageiros vão descendo pela estrada e sumindo na neblina, tipo coisa de filme!

Você vai desembarcar no centrinho de Cambará, atrás da igreja da cidade. Na frente da igreja fica a avenida principal. Ali tem mercadinho para comprar coisas básicas, lanchinhos para os passeios (leve lanchinhos e água, não tem lanchonete em cânion). Ali também há boas opções de restaurante e a única padaria da cidade (tomei café quase todos os dias ali, preços justos, mas preços de cidade turística),

A vista do cânion Itaimbezinho, em Cambará do Sul. Foto: Talita Marchao

Como fazer os passeios?

Se você for de carro (seja próprio ou alugado), dá para ir por conta. O grande problema é que as duas estradas para os cânions mais famosos —Fortaleza e Itaimbezinho— são de chão. E não estou falando de terra e barro, estou falando de PEDRAS. A chance de estourar um pneu, amassar embaixo do carro e dar problemas no caminho é gigante.

Você pode contratar os passeios com agências locais –e recomendo, e esta recomendação não é jabá patrocinado. NÃO CONTRATE O PASSEIO ANTES, NEGOCIE POR LÁ. O valor do passeio depende de quantas pessoas o farão, ou seja, se você conseguir uma turma grande no hotel ou no hostel, pode fazer os cânions por R$ 50 por pessoa, ter explicações legais, aprender bastante e não vai estourar o seu carro (ou da locadora). Eu fiz por este preço com 5 pessoas, num veículo 4×4 e guia local.

Aquela foto clássica sobre o 4×4, tirada lá no cânion da Encerra –ou Amola Faca, em São José dos Ausentes

Acabei conhecendo São José dos Ausentes neste mesmo esquema de passeio contratado. Num grupo de 3 pessoas, cada um pagou R$ 200. Mas não se engane: o trajeto é feito todo por estrada de terra e leva cerca de 5h –a opção de carro com asfalto é hiper demorada (é preciso ir quase até São Chico, para vocês terem uma ideia).

Serra gaúcha: levo roupa de inverno?

Não seja aquela pessoa que vai de bota de salto e roupa desconfortável. Vá com o seu tênis mais confortável e leve um casaco corta-vento (sim, venta demais nos cânions!)



Booking.com

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: