Conheça alguns passeios grátis em Buenos Aires

A famosa Ponte da Mulher, em Puerto Madero. Foto: Talita Marchao
A famosa Ponte da Mulher, em Puerto Madero. Foto: Talita Marchao



Acabou o tempo em que viajar para Buenos Aires era barato para brasileiros. A única coisa que nos favorece na cidade portenha hoje é o fato de que é possível falar português em praticamente todos os lugares. Por isso, em vez de ficar fazendo contas para comer, beber e passear, vou dar uma força para que pelo menos a parte de bater perna não saia tão no prejuízo (e não dê prejuízo, já que o bolso vai falir). E passear de graça é algo bom para todo mundo, não importa o tamanho do orçamento da viagem.

VISITAS GUIADAS PELA PREFEITURA

Isto foi o que eu mais curti: a prefeitura de Buenos Aires oferece roteiros guiados a pé gratuitamente. São tantos roteiros que dá pra conhecer a cidade toda só gastando sola de sapato. O chamado Trekking Norte sai às terças e sábados e é uma baita caminhada (Puerto Madero, Retiro, Recoleta e Palermo –a área dos bosques). São 8km com parada para almoço e termina dentro do Rosedal. O Trekking sul é mais curto e é realizado às segundas e sextas  (faz o centro, com a Praça de Maio, San Telmo com parada na Mafalda e La Boca –sim, passa pelo estádio e vai até o Caminito). Como é mais curto (5 km), não tem parada para almoçar. Para os fortes, rola todo domingo e quarta o Trekking completo: são 18km saindo de La Boca até Palermo. Para este trajeto, é necessária a inscrição prévia pelo site; para os outros, é só chegar e curtir. Os passeios são feitos em inglês e espanhol, sempre com aquele apoio moral aos que só falam português.

Se você curte correr, eles também fazem roteiros correndo. Mas em outros dias. É preciso confirmar direito cada roteiro e data (são diferentes).

A Mafalda e seus amiguinhos em San Telmo. Foto: Talita Marchao
A Mafalda e seus amiguinhos em San Telmo. Foto: Talita Marchao

Aliás, todo dia há uma visita guiada grátis diferente em cada um dos bairros da cidade (mas neste caso é preciso se informar nas casinhas amarelas de informação turística espalhadas pela cidade). Estes passeios curtos são mais aprofundados nos detalhes de cada bairro. A prefeitura faz até tour noturno grátis nas noites de sexta-feira. Todos estes passeios podem ser consultados no site oficial de turismo de Buenos Aires (tem muita dica boa!!).

CASA ROSADA

A desproporcional Casa Rosada (e lá dentro eles explicam o motivo pelo qual ela é maior de um lado). Foto: Talita Marchao
A desproporcional Casa Rosada (e lá dentro eles explicam o motivo pelo qual ela é maior de um lado). Foto: Talita Marchao

A sede do governo argentino tem visita monitorada gratuita aos finais de semana e feriados. Você só precisa fazer a reserva de algum horário no site oficial e imprimir o comprovante (sim, leve impresso). Os passeios são feitos em espanhol, e existem alguns horários em inglês (mas para quem fala português, o espanhol está valendo e no caso de qualquer dúvida, é só puxar o guia de canto e perguntar. A pessoa certamente irá te explicar em português). É um passeio super bacana, cheio de histórias, Evita, Perón e, por causa da mudança de governo, quase sem era Kirchner (o que acho absurdo, mas ok). No dia da minha visita, deu até para ver o gabinete no presidente Mauricio Macri, cheio de fotos da filha pequena.

CONGRESSO

O Congresso argentino fotografado do Palácio Barolo --mas a entrada nesse palácio é paga e cara. Foto: Talita Marchao
O Congresso argentino fotografado do Palácio Barolo –mas a entrada nesse palácio é paga e cara. Foto: Talita Marchao

São duas visitas diárias (12h30 e 17h, mas vale confirmar no site oficial). O único dia em que não rola tour de quarta-feira. O site diz que também não há visita aos finais de semana, mas vi por lá que são realizadas no sábado. A única coisa que você precisa levar é o documento. Mas não se engane, o passeio dura uma hora e você conhece alguns poucos espaços do prédio gigante. E se estiver rolando sessão em algumas na Câmara ou no Senado, você fica para fora deste espaço (eu fiquei, foi triste). Minha sugestão é tentar o tour do meio dia, já que muitos lugares lá dentro necessitam de luz natural para iluminação e, no fim do dia, o clima de penumbra é meio caído. E tome bastante cuidado para fotografar o prédio do lado de fora. A Praça do Congresso é linda, mas me pareceu um lugar meio perigoso.

 

O disputado e alto CCK. Foto: Talita Marchao
O disputado e alto CCK. Foto: Talita Marchao

CENTRO CULTURAL KIRCHNER

As visitas guiadas começaram recentemente, então conseguir reservar um horário pela internet pode ser missão impossível. São realizadas somente às sextas, sábados e domingos e em 4 horários, e sobem somente 16 pessoas por vez. O prédio é super lindo, e a visita passa pelo mirante na cúpula do prédio. A reserva é feita neste site, então aproveite se você já tem a data da sua viagem e antecipe as entradas. Vale ficar de olho na programação também: lá tem exposições, peças de teatro, apresentações musicais (e tudo é gratuito!)

BÔNUS: CONCERTO GRÁTIS NO TEATRO COLÓN

A visita guiada no Teatro Colón é cara ( 250 pesos quando estive lá), mas sempre rolam uns concertos de orquestras acadêmicas no fim da tarde. É preciso ficar de olho na programação e, se der sorte de conseguir um ingresso, pode ver aquela baita sala de concertos em atividade sem gastar as fortunas cobradas nas entradas mais caras. Você pode não conseguir um lugar incrível, mas chegue cedo e conseguirá pelo menos um assento no centro da sala.

A sala do Colón com os instrumentos antes da apresentação --e a vista do quarto piso, onde eu consegui ingresso grátis e foi incrível. Acredite: há lugares piores. Foto: Talita Marchao
A sala do Colón com os instrumentos antes da apresentação –e a vista do quarto piso, onde eu consegui ingresso grátis e foi incrível. Acredite: há lugares piores. Foto: Talita Marchao

 

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

18 pensamentos em “Conheça alguns passeios grátis em Buenos Aires”

%d blogueiros gostam disto: