Farofando em Punta del Este

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Sei que a cidade é incrível, é linda, é o lugar de encontro do rio com o mar, que tem baladas incríveis e tudo mais. Mas como tive poucos dias no Uruguai, minha única opção foi um bate-volta clássico em Punta del Este. Vale a pena? Vale. Foi cansativo? Até que não, mas porque estava com um grupo. Se estivesse sozinha, imagino que a mão de obra teria sido maior. Mas vamos ao beabá da farofada em Punta:

Opção 1 – com o grupo
O passeio é facilmente contratado em qualquer hotel ou hostel. Existem agências que oferecem o bate-volta ali no centro. Todos cobram a mesma coisa: US$ 50. Pude pagar em reais (R$ 135). O ônibus passa por volta das 8h para te buscar no hotel. No meu caso, o ônibus tinha wi-fi (nem acreditei, quase chorei de emoção) e uma guia extremamente empolgada, no nível de incentivar cantoria, sabe? O grupo faz uma parada em Piriápolis, uma pequena cidade lindinha. Lá, sobe num morro para os turistas fotografarem a orla do mirante.

Aí vem o pulo do gato: pergunte se o ônibus vai parar na Casapueblo na ida ou na volta de Punta del Este. E compre com a parada na volta, para garantir o pôr do sol incrível na casa-museu do artista uruguaio Carlos Páez Vilaró. Você paga para entrar, visita o museu, fotografa as sacadas com uma vista surreal. A casa fica em Punta Ballena, e, dependendo do tempo que você tiver para passear por lá, até rola uma caminhada no mirante da “ponta”. E não se engane: o guia dirá que você tem cerca de 40, 50 minutos para visitar o local. Não chore. É muito tempo. O museu é bem pequeno, e você não terá acesso a todos os espaços, já que ali tem um hotel e um restaurante.

O ônibus circulou bastante pela cidade. Mostrou mansões, a Ilha de Caras (que mais parece Alcatraz para famosos), o farol, o monumento que marca o encontro do rio com o mar, a marina e a famosa mão. Prepare bolso e mente para almoçar em Punta del Este (tudo é BEM CARO). Os tours param no centro, perto da mão, para que o turista possa fazer compras e obviamente se estapear com os outros por uma foto sozinho na mão (consegui, chupa mundo). Quem quiser arriscar um banho de mar ou de rio, também tem alguns minutos. Mas coisa bem rápida e para voltar salgadinho para o bus.


Opção 2 – Na raça

Para quem curte dirigir e tem amigos para dividir os gastos, alugar um carro pode ser uma boa pedida. Punta del Este fica a 130km da capital. As estradas são muito boas no Uruguai. Ah, e são pedagiadas. Ah, e o combustível é caro. Há muitas casas de aluguel na avenida 18 de julho. O bacana de alugar o carro é não ficar refém dos prazos do grupo (mas não tem as explicações do guia, que achei bem interessantes). A diária sai por cerca de US$ 60.

A outra ideia é o bom e velho ônibus rodoviário. Ele sai da Rodoviária Tres Cruzes e, em Punta del Este, te deixa perto da Mão. Duas empresas fazem o trajeto, que custa uns 430 pesos ida e volta (chutando alto uns R$ 45). O grande problema é a locomoção. A Casapuelo fica a uns 15 km do centro de Punta del Este. Um ônibus até te deixa no trevo da rodovia, mas é preciso encarar a caminhada de 3 km até a casa (uma subida, vale ressaltar, e a volta fica na vontade de Deus ou de um motorista parar, já que o ônibus pode estar lotado). Mais caro é o táxi até a casa do Vilaró (há boatos de que a aventura pode custar uns US$ 50 ida e volta).

 

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: